Uremia

21 Out, 2012

Uremia é uma intoxicação do sangue devido à presença de produtos de desassimilação que deveriam ter sido removidos pelos rins e eliminados através da urina. Na uremia crónica, numa primeira fase, pode ocorrer uma produção excessiva de urina que não contém os produtos de desassimilação. A uremia aguda é frequentemente caraterizada por uma diminuição do volume de urina. À medida que a quantidade de substâncias tóxicas aumenta, manifesta-se outros sintomas, entre os quais estão incluidos ansiedade, agitação, dores de cabeça, nauseas, vómitos, prurido generalizado, espasmos musculares, dificuldade em respirar e sonolência. O hálito pode apresentar um odor a urina.

A uremia nem sempre resulta de doenças dos rins. Qualquer interferência, ainda que temporária, com a função renal, pode causar uma uremia aguda.

Quando se trata um caso de uremia aguda, a primeira medida a tomar consiste em ministrar o tratamento estabelecido para a causa que a determinou. Por exemplo, se a uremia for provocada por um estado de choque, procura-se restabelecer a circulação normal. A fim de tratar a uremia propriamente dita, faz-se circular o sangue do doente através de um rim artificial, que purifica o sangue e torna a enviá-lo para o organismo.

Outro método de tratamento da uremia é designado por «diálise peritoneal». Consiste na injeção de um líquido especial na cavidade perioneal (abdominal); após um certo tempo, o líquido é removido, trazendo consigo algumas das substâncias tóxicas.