O que fazer quando a criança não quer comer

26 Jan, 2013

O que fazer quando a criança não quer comerPor vezes, a alimentação da criança constitui um problema.

Se a criança, ocasionalmente, «não tocar« no prato, a mãe poderá retirar-lho calmamente, sem qualquer comentário. Em geral, quando assim se procede, ela come bem na refeição seguinte.

Porém, se a criança comer pouco, quer habitualmente, quer em certas fases do seu desenvolvimento, a mão deverá proporcionar-lhe as circunstâncias mais favoráveis para lhe estimular o apetite. Na realidade, algumas crianças comem melhor se estiverem sozinhas e nada as distrair; outras, quando se lhes apresenta pequenas quantidades de alimento ou seja oferece alimentos fáceis de mastigar ou de manipular; outras, ainda, quando se lhes dá a comida na boca (mesmo que, de acordo com os padões da criança «normal», já tenham idade suficiente para comer por si próprias) ou se lhes conta uma pequena história.

Em resumo, convém ter presente o seguinte:

1 – Os pais não precisam de preocupar-se demasiado com a alimentação das crianças, pois estas, normalmente, são as primeiras a manifestar-se quando sentem fome. Algumas experiências demonstraram que mesmo as crianças de pouca idade a quem é dada a possibilidade de acolher os alimentos selecionam uma alimentação razoavelmente equilibrada, não comendo apenas sorvetes e guloseimas.

2 – Os problemas de alimentação das crianças relacionam-se muitas vezes com outros problemas de natureza muito diferente. É indispensável descobrir as suas verdadeiras causas e tentar eliminá-las. Em tais circunstâncias, os pais devem atuar com grande compreensão, num ambiente de amor e tranquilidade.

3 – Cada criança é um caso particular. Assim, pode comer mais ou menos que a média das crianças da sua idade, consoante as suas necessidades individuais.

4 – As crianças crescem e modificam-se constantemente. Por isso, alimentam-se melhor em determinadas alturas que em outras. A maior parte das crianças come menos nos períodos de aparecimento da dentição, durante o segundo ano de vida e no tempo quente.