O cérebro

10 Dez, 2012

O cérebro é o órgão nobre do corpo humano. Não admira, portanto, que a Natureza tenha desenvolvido num completo sistema de defesa para proteger esse maravilhoso mecanismo, com cerca de 1300 gramas de peso, contra os diversos perigos a que se encontra exposto. Assim, o couro cabeludo reveste o crânio, amortecendo as pancadas e os choques. Por sua vez, os ossos do crânio protegem o encéfalo. Dentro da caixa craniana, uma forte membrana, deniminada «dura-máter», protege também o encéfalo. Este dispõe ainda de um meio de proteção suplementar: encontra-se rodeado por um líquido (o líquido cefalorraquidiano, ou cefalorraquídeo) em que «flutua», o qual ajuda a amortecer os choques traumáticos.

Mas a Natureza não pode fornecer ao cérebro uma proteção ilimitada, É preciso contribuir para o defender. Os jovens, por exemplo, devem refletir sobre os perigos do boxe, do futebol, dos mergulhos e de outros desportos que possam causar traumatismos cranianos. Necessitam, por isso, de observar as medidas de segurança adequadas, o que não constitui sinal de fraqueza, mas representa, pelo contrário, uma prova de prudência e de noção de responsabilidade. Por seu lado, os automibilistas devem ter presentes as terríveis consequências daqueles traumatismos, não guiando a velocidades temerárias nem fazendo manobras perigosas; os operários precisam de conhecer os riscos, não só físicos como de natureza química, inerentes ao seu trabalho, a fim de evitar lesões cerebrais; os alcoólicos devem lembrar-se de que o excesso de álcool pode prejudicar a sua capacidade intelectual.

Além de se tomar os cuidados anteriormente referidos, que mais se poderá fazer no sentido de proteger o cérebro, ao longo da vida quotidiana? Em primeiro lugar, deve-se propocionar-lhe um repouso suficiente, a fim de ele poder funcionar com a máxima eficiência. Além disso, não convém excità-lo demasiado com o abuso de café, chá e outras bebidas estimulantes, nem deprimi-lo com o uso frequente de sedativos (barbitúrios, brometos, ect.). Nunca se deve, aliás, recorrer a comprimidos estimulantes, tais como a Profamina, sem prescrição médica.

O cérebro trabalha melhor quando liberto de ansiedades, receios e outros conflitos mentais.

O estado psíquico reage também prontamente às doenças que afetam outras partes do corpo. Dores de cabeça, vertigens, desmaios, alterações da memória e ouros sintomas cerebrais podem ser devidos a doenças localizadas no cérebro ou em qualquer outro órgão; tais sintomas podem também ser resultado de uma intoxicação provocada por mau funcionamento dos rins e consequente acumulação de produtos tóxicos no sangue.

Por outras palavaras, os sintomas anterirmente referidos exigem um completo exame mádico.