Neurocirurgia

1 Out, 2012

Neurocirurgia é a cirurgia do sistema nervoso: o encéfalo, medula espinal e nervos.

Na cirurgia cerebral, é da maior importância evitar o traumatismo de qualquer tecido são do cérebro. Usando lentes de aumento e instrumentos muito delicados, os neurocirugiões conseguem operar áreas extremamente reduzidas. Por exemplo, podem remover um coágulo de um pequeno vaso sanguíneo.

A localização da zona cerebral afetada é previamente determinada por meio de raios X, TAC e outras técnicas. Muitas vezes, para fazer uma abertura no crânio é suficiente trepanar (operar com o auxílio do trépano) apenas um pequeno orifício. Em operações mais extensas, são feitos vários orifícios em pontos-chave; seguidamente, o osso entre os orifícios é serrado e a peça de osso é levantada. Esta operação preliminar é denominada craniotomia. Após a operação, a abertura é coberta com a porção de osso anteriormente removida ou com uma placa de plástico ou metal.

Pode recorrer-se à cirurgia cerebral para remover tecido cerebral lesionado e esquírolas de osso em caso de grave traumatismo craniano; para extrair um tumor; para extrair líquido, como na hidrocefalia; para remover um coágulo sanguíneo, laquear vasos sanguíneos lesionados, e para aliviar certos casos de parkinsonismo.

As operações na medula espinal são igualmente realizadas para remover tumores e reparar lesões por traumatismos.

A neurocirurgia é também usada para aliviar dores intensas e persistentes quando falham os outros métodos. Se o nervo sensitivo que abrange a área dolorosa for cortado, o cérebro deixa de receber impulsos dolorosos dessa área. Contudo, uma vez cortado o nervo, o efeito é permanente.