Medula espinal

29 Nov, 2012

A medula éspinal é um cordão expesso, longo e mole, formado por tecido nervoso, que se estende desde o cérebro e a base do crânio até à primeira vértebra lombar. Mede 43 a 45,5 cm de comprimento e está alojada no interior do canal vertebral. Juntamente com o encéfalo, constitui o sistema nervoso central.

A medula espinal, composta por substância branca e substãncia cinzenta, é formada por um complexo conjunto de nervos, algo semelhante a um cabo telefónico constituido por numerosos fios, que transmite mensagens (os estímulos nervosos) para o cérebro e deste para todo o organismo. Trinta e um pares de nervos, que se estendem da medula espinal às diferentes partes do corpo, recebem e transmitem os estímulos.

Líquido espinal ou raquidiano: A medula espinal está protegida por membranas (meninges) e pelo líquido raquidiano. A composição química deste líquido sofre alterações em consequência de certas doenças do sistema nervoso. Quando se suspeita da existência de esclerose multipla, acidente vascular cerebal (congestão cerebral), poliomielite, meningite, tumores ou outras perturbações semelhantes, colhe-se uma amostra do líquido para análise, que ajudará a diagnosticar a afeção. O líquido para análise é extraído por meio de uma agulha especial, inserida entre as vértebras da parte inferior da coluna vertebral. Esta operação é conhecida por punção lombar ou punção espinal.

A anestesia da medula (anestesia espinal) é por vezes usada em certas intervenções cirúrgicas da metade inferior do corpo. O anestésico é injetado no canal vertebral, produzindo insensibilidade, mas não perda de consciência.