Mal das montanhas

28 Nov, 2012

Mal das montanhas, também chamado por «doença das altitudes», é vulgar nos recém-chegados às regiões montanhosas, onde o ar é pouco denso e a concentração de oxigénio é baixa. Medicamente, é designada por hipoxemia, que significa um fornecimento insuficiente de oxigénio ao sangue. Como nas grandes altitudes há menos oxigénio, os glóbulos vermelhos não podem absorvê-lo na quantidade habitual quando o sangue passa pelos pulmões. Os sintomas típicos são dificuldade de respirar, náuseas, fadiga e ansiedade.

Esta doença das montanhas pode produzir, em algumas pessoas, sensações de excitação e de euforia. Nos Jogos Olímpicos de 1968, realizados na Cidade do México (situada a uma altitude de cerca de 2300 metros), alguns atletas, em virtude dos esforços físicos que as provas exigiam, ressentiram-se da altitude.

Para, sustar ou superar os sintomas desta doença é conveniente evitar os exercícios físicos violentos ou os trabalhos pesados durante as primeiras 24 ou 48 horas de permanência, até que o sistema circulatório se tenha adaptado à altitude. É ainda aconselhável a abstenção de bebidas alcoólicas.

Quem não tiver qualquer problema de saúde depressa poderá aclimatar-se e retomar as suas atividades normais. Todovia, aqueles que sofrerem de qualquer perturbação cardíaca ou circulatória não devem deslocar-se a uma região de grande altitude sem consultar o médico.