Intoxicação sanguínea

28 Dez, 2012

Intoxicação sanguínea é a presença na corrente sanguínea de bactérias provenientes de uma infeção local, como um furúnculo, um abcesso num dente ou uma ferida ou incisão infetadas. A intoxicação sanguínea é também um risco grave dos abortos, uma vez que podem introduzir-se bactérias no útero, apesar dos possíveis cuidados de assepsia utilizados. Várias espécies de bactérias podem ser responsáveis por esta intoxicação, mas as mais vulgares são os estreptococos e os estafilococos. As defesas do organismo conseguem normalmente manter localizadas estas infeções. A manipulação física, ao lancetar um furúnculo ou na raspagem (curetagem) do útero, parece aumentar o risco de entrada de bactérias no sangue. A existência de pus, assim como de bactérias, no sangue circulante, tem a designação de piemia.

Uma vez na corrente sanguínea, as bactérias podem originar abcessos em todo o organismo e em órgãos vitais como os pulmões e o coração. Esses casos são muito graves. Os sintomas variam: aparece normalmente um estado de fraqueza acompanhado de arrepios e febre. Se houver suspeita de uma intoxicação sanguínea, o médico pode confirmar o seu diagnóstico mandando fazer culturas bacterianas no laboratório a partir de amostras de sangue do doente. é necessário um tratamento imediato que inclua a administração de antibióticos. O tratamento veve continuar até desaparcerem todos os sinais da infeção.

Septicemia e bacteriemia são dois termos médicos que designam a intoxicação sanguínea. Fala-se de toxemia quando aparecem na corrente sanguínea toxinas bacterianas.