Inseminação artificial

Inseminação artificialA inseminação artificial é uma técnica de reprodução clinicamente assistida, que consiste no depósito do sémen (células sexuais masculinas) no útero, por meios artificiais, tendo em vista uma possível conceção. Habitualmente, é levada a efeito por um médico que faz esta transferência de sémen por meio de uma seringa.

A inseminação artificial é utilizada em três espécies de casos.

Primeiro: o marido pode ser fértil, mas é incapaz de completar o ato sexual. Se o seu sémen for transferido para a vagina, num momento adequado do ciclo da mulher, é possível dar inicío a uma gravidez.

Segundo: o marido produz uma quantidade de sémen inferior à normal, tornando a fecundação dificíl. Sendo assim, o sémen pode ser conservado, por congelação, durante um certo período de tempo. Quando se obtiver uma quantidade suficiente de sémen, este é depositado na vagina por meio de uma seringa.

Terceiro😮 marido não pode produzir sémen fecundante. Nestas circunstâncias o médico obtém o sémen de um dador, certificando-se de que este goza de boa saúde, apresenta uma boa hereditariedade e tem um tipo sanguíneo compatível com o da futura mãe. A identidade do dador mantém-se sempre secreta. Há também que satisfazer determinados requisitos legais. Este terceiro tipo de inseminação artificial suscita graves problemas de ordem psicológica, moral e legal.