Imunização

23 Dez, 2012

Imunização é o processo de conferir imunidade através da inoculação de determinadas substâncias no organismo. Por exemplo, consegue-se imunidade contra a febre tifóide injetando bactérias (já mortas) causadoras dessa doença. A vacina da varíola contém vírus vivos, previamente submetidos a um processo destinado a reduzir-lhes a virulência. A imunidade à difteria, ao tétano e a outras doenças é conferida por meio da inoculação de uma anatoxina, que consiste numa forma modificada da toxina produzida pelo germe causador da doença.

Todas estas substâncias estimulam o organismo no sentido de produzir anticorpos capazes de combater as doenças. Por vezes, a imunidade é conseguida apenas várias semanas após a imunização, tornamdo-se em alguns casos necessários aplicar séries de injeções ou proceder a revacinações periódicas, a fim de manter a imunidade. Na imunização passiva, a substância injetada (soro ou antitoxina) contém os anticorpos capazes de combater a doença.

As crianças devem ser imunizadas contra a difteria, a tosse convulsa, o tétano, a varíola, a polimielite e a febre tifóide e paratifóide. São também aconselháveis as imunizações contra a rubéola, a papeira e o sarampo.