Habituação à droga

Habituação à drogaA habituação à droga é a necessidade absoluta de tomar uma droga, geralmente em quantidades sempre crescentes. A pessoa fica dependente dos efeitos físicos e psíquicos que a droga produz.

O vício ocorre por vezes em pessoas a quem foi administrada uma droga por razões de ordem médica, como o alívio de uma dor e que posteriormente se tornam tão dependentes dela que continuam a tomá-la mesmo depois de já não existir razão que o justifique. Muitos casos de habituação à droga resultam do desejo de fugir à realidade quotidiana e de gozar de bem estar aparente ou o efeito estimulante que as várias espécies de drogas proporcionam.

As drogas que causam habituação são aquelas que provocam depêndencia física. Se se retira a droga, há uma reação orgânica muitas vezes bastante violenta, que provoca, quando a habituação é grande, uma gama de sintomas conhecida por «síndroma de carência». Entre as drogas que causam habituação incluem-se os opiácidos, como a codeína, a morfina e a heroína, os barbitúrios ou sedativos como o seconal e o fenobarbital e certos tranquilizantes. As drogas como a canabina (MARIJUANA e AXIXE) não provocam dependência física, mas dependência psíquica. O indivíduo neurótico pode sentir uma necessidade emocional da libertação que elas provocam e ser levado a experimentar drogas alucinógenas mais perigosas, tais como o LSD ou os opiáceos.

TRATAMENTO: O tratamento da habituação à droga pode efetuar-se nos serviços de psiquiatria dos hospitais centrais. O afastamento total da droga que acontece, por exemplo, quando um indivíduo é preso por se encontrar na posse de narcóticos, pode produzir a reação violenta já referida, com vómitos, náuseas, cãimbras e convulções. Muitos médicos aconselham a redução gradual da droga. A dosagem é cuidadosamente reduzida durante um período de dias ou semanas. No caso dos narcóticos, o médicamento é muitas vezes substituído e depois reduzido gradualmente. Recorre-se à PSICOTERAPIA para descobrir as razões que levaram o doente a tomar drogas e para o reabilitar. A ajuda de antigos viciados é frequentemente benéfica.

No caso de viciação por drogas que não causam habituação, o tratamento é geralmente mais simples. O doente pára de ingerir a droga e é depois submetido a psicoterapia, se houver indicações para tal.

PREVENÇÃO: Pode resumir-se em três palavras: evitar a droga. Ninguém queria experimentar os efeitos da marijuana ou qualquer outra droga, quer ela cause ou não habituação.

As afetaminas, ou sedativos ou qualquer comprimido para dormir não devem ser tomados sem primeiro consultar o médico. Se ele receitar quaisquer medicamentos desse tipo, não é prudente renovar a receita sem o seu consentimento.