Fígado

31 Out, 2012

O fígado é um órgão de grandes dimensões formado por quatro lobos e situado no lado direito da cavidade abdominal, logo abaixo do diafragma. O figado é a principal unidade de fabricação e armazenagem do organismo. Recebe aproximadamente um quarto do volume de sangue arterial que sai do coração em cada batimento cardíaco. Recebe também todo o sangue das veias da região do intestino, o qual contém as substâncias nutritivas provenientes da digestão dos alimentos e que foram absorvidas através da parede intestinal.

O fígado armazena as vitaminas e as substâncias nutritivas e liberta-as conforme as necessidades do organismo, depois de as converter em formas utilizáveis. Por exemplo, armazena glucose sob a forma de glicogénio e envia-a para a corrente sanguínea sob a forma inicial, sempre que se verifica uma redução na percentagem de açúcar no sangue. O fígado purifica o sangue, removendo substâncias tóxicas, vários produtos de desassimilação e os glóbulos vermelhos gastos. Ajuda a manter o equilíbrio hormonal do organismo destruindo ou tornando inativas as hormonas que não são necessárias. O fígado também produz a bílis, que é essencial para a digestão,e realiza ainda centenas de pequenas funções.

O fígado possui uma notável capacidade de recuperação em relação a pequenas lesões. Em condições normais de saúde, esse órgão não exige cuidados especiais para o seu bom funcionamento. Contudo, existe um certo número de doenças que afetam o fígado. A iterícia é frequentemente um sintoma de perturbação hepática. Os vírus que provocam a hepatite e a febre amarela afetam diretamente o fígado. Também a brucelose e outras infeções bacterianas podem atingir esse órgão. Os parasitas que dão origem à amebíase são suscetíveis de causar lesões hepáticas. Determinadas substâncias tóxicas, como o tetracloreto de carbono e o clorofórmio, podem vir a ocasionar cirrose do figado. Certos medicamentos podem igualmente originar anormalidades nesse órgão. Pode por vezes um tumor maligno desenvolver-se no fígado, ou este órgão ser invadido por metástases de um tumor maligno originado noutras partes do organismo. Finalmente, quer a má nutrições, quer a obesidade, constituem uma sobrecarga excessiva para o fígado.