Esterilidade

EsterilidadeEsterilidade é a incapacidade parcial ou total de procriar, infertilidade. A esterilidade pode derivar de um defeito orgânico ou funcional no homem ou na mulher. Por vezes, a dificuldade em conceber resulta do conhecimento, por parte do casal, da existência de um período no ciclo menstrual durante o qual há mais probabilidades de fecundação. Este período principia cerca de dois dias antes da ovulação e termina 24 horas após esta fase do ciclo menstrual. Os casais que desejem ter filhos devem ter relações sexuais (coito) durante este período. A sua determinação muito aproximada consegue-se com o teste das temperaturas.

O EXAME MÉDICO: Qando um casal não consegue ter filhos, ambos os cônjuges devem submeter-se a um exame médico copleto, a fim de detetar possíveis sintomas de nomalias, distúrbios glandulares, má nutrição ou doenças que possam ser responsáveis pela infertilidade.

No que respeita ao homem, a observação ao microscópio de uma amostra se sémen pode facilmente revelar se este contém espermatozóides saudáveis e em número suficiente.

Um exame médico à mulher tem como primeiro objetivo verificar se ocorre a ovulação. Em caso afirmativo, segue-se um exame das trompas de Falópio, que indicará se estas se encontram desobstruídas e aptas a receberem os óvulos provenientes dos ovários. Por vezes, a infertilidade é devida à destruição do desperma pelo muco do colo uterino.

TRATAMENTO: Se não houver produção de espermatozóides no homem, o problema da esterilidade não poderá ser resolvido. Contudo, se o sémen contiver espermatozóides, embora fracos ou em número reduzido, pode-se tentar vários tratamentos.

Na mulher, as dificuldades relativas à ovulação podem ser corrigidas por meio de um tratamento de hormonas. Em caso de obstrução das trompas de Falópio, é possível recorrer à cirurgia. Quando a infertilidade tem origem em transtornos emocionais, está indicado tratamento psiquiátrico. Por vezes, torna-se difícil descobrir e tratar a causa da infertilidade, problema cuja solução compete aos ginecologistas e às clínicas especializadas.