Emorragia cerebral

8 Out, 2012

Hemorragia cerebral é uma hemorragia no interior do cérebro, causada pela rotura de um vaso sanguíneo, geralmente de uma artéria cujas paredes se tornaram frágeis em virtude do endurecimento das artérias (arteriosclorose). Quando o vaso sanguíneo se rompe, determinadas células cerebrais são privadas de sangue e ficam definitivamente lesadas. O sangue proveniente do vaso onde ocorreu a rutura também pode destruir total ou parcialmente o tecido cerebral saudável. Uma hemorragia cerebral pode resultar de um esforço ou de uma excitação emocional, especialmente em pessoas com tensão elevada (hipertensão). Os sintomas dependem da gravidade da hemorragia e da zona do cérebro atingida. Pode surgir apenas um ligeiro mal-estar ou, o que é mais frequente, ocorrer uma apoplexia cerebral. A vítima de uma hemorragia cerebral deve ser colocada na cama e necessita de assistência médica imediata. Enquanto estiver inconsciente ou não puder mexer-se, é essencial a colocação de uma enfermagem eficiente que ajude a manter as funções normais do seu organismo. Quando recobrar a consciência, é provável que se verifique uma paralisia considerável e perturbações na fala. Não é possível durante as primeiras semanas assegurar se estes sintomas serão ou não permanentes. As melhoras vão surgindo muito gradualmente, ao longo de vários meses.

Havera maiores probabilidades de recuperação se o doente for sem demora submetido a fisioterapia. As áreas paralisadas do corpo devem ser sujeitas a um programa regular de exercícios. Convém ainda animar o doente a tentar mover-se sozinho. Com paciência, encorajadamente e assistência apropriada, é frequentemente possível reaprender a executar as funções perdidas, passando a utilizar outras células cerebrais que substituem as que foram lesadas.