Distrofia muscular

24 Jan, 2013

Distrofia muscularA distrofia muscular é uma doença que ataca sobretudo as crianças e os adolescentes, provocando o enfraquecimento e a progressiva atrofia dos músculos.

No seu tipo pseudo-hipertrófico, que começa por volta dos 4-5 anos, atingindo com mais frequência os rapazes, a doença ataca primeiro os músculos da cintura pélvica e depois os dos membros inferiores. Nesta afeção, também denominada «doença de Duchenne», o tecido muscular é substituído por tecido intersticial, que dá aos músculos um aspeto pseudo-hipertrófico e uma consistência caraterística. Alguns músculos ficam atrofiados, enquanto outros, como os gémeos, se apresentam pseudo-hipertrofiados (pelo que se costuma dizer que o doente tem «pernas de colosso«). A marcha é defeituosa, devido à inclinação da bacia sobre a perna. Mais tarde, a atrofia atinge os músculos do tronco e da espádua. Por último, pode generalizar-se. Esta é a forma mais grave de distrofia muscular.

Num outro tipo de distrofia muscular, que se manifesta, em geral, entre os 10 e os 12 anos, atingindo menor extensão, a doença ataca primeiro os músculos da face e do ombro, pelo que se chama «distrofia muscular facio-escapulumeral». Nesta afeção, também chamada «doença de Landouzy-Déjérine», o doente apresenta um facies inexpressivo, lábios salientes e virados para fora ou, pelo contrário, muito finos e olhos muito abertos, que não consegue fechar, mesmo durante o sono. Ao fim de algum tempo, os músculos do ombro e do braço atrofiam-se; mais tarde, a doença atinge os músculos do tronco e finalmente, os dos membros inferiores. Esta enfermidade só costuma originar incapacidade física total ao fim de muitos anos.

Existem valiosas técnicas, quer de fisioterapia, quer de ortopedia, para o tratamento desta doença. Porém, a medicina não dispoe ainda de uma terapêutica realmente eficaz. As pessoas que sofrem de distrofia muscular devem manter um contato regular com o médico assistente ou com uma clínica ou um instituto especializado.