Digestão

22 Out, 2012

A digestão é o processo pelo qual os alimentos se transformam em elementos mais simples, para que possam ser absorvidos pela corrente sanguínea e darem depois origem à formação de energia, à reconstrução dos tecidos e ao crescimento. A digestão realiza-se no tubo digestivo, que compreende a boca, o estômago, o intestino delgado e o intestino grosso, ou cólon.

A digestão começa logo que os alimentos entram na boca, onde são mastigados até ficarem com uma fina contextura. Três pares de glândulas salivares segregam a saliva para a boca, humedecendo os alimentos. A ptialina, enzima da saliva, atua sobre os hidratos de carbono (amidos e açúcares) e começa a transformá-los numa forma mais digerível.

O QUE ACONTECE NO ESTOMAGO: Os alimentos entram no estômago através do esófago, impulsionados pelas contrações musculares deste órgão (peristaltismo). O estômago, órgão muscular que possui uma certa semelhança com uma gaita de foles ou um J, ajuda a triturar e homogeneizar os alimentos por meio de uma série de contrações. Os alimentos são misturados com os sucos gástricos (pepsina, lipase e ácido clorídrico) segregados pelo estômago, que os ajudam a tornar-se absorvíveis. A pepsina e o ácido clorídrico atuam sobre as proteínas e a lipase dá início à transformação de certas gorduras. Algumas horas depois, o «bolbo alimentar» (tudo o que primeiro constituía os alimentos) foi triturado e transformado num líquido ácido chamado «quimo», que sai então do estômago e entra no intestino delgado.

O INTESTINO DELGADO: O intestino delgado é assim chamado devido ao seu diâmetro, com uma largura máxima inferior a cinco centímetros. No entanto, constitui a parte mais comprida do tubo digestivo, perfazendo aproximadamente seis metros, enquanto o comprimento total do tubo digestivo é cerca de nove metros. A digestão continua no intestino delgado, onde se realiza a absorção dos alimentos.

O suco digestivo segregado pelo pâncreas passa para o duodeno, primeira parte do intestido delgado, e atua posteriormente sobre as proteínas, gordas e hidratos de carbono; a bílis, segregada pelo fígado, também auxilia a digestão das gorduras. Esta ação continua enquanto os alimentos são propulsionados pelas contrações intestinais. À medida que os alimentos vão sendo convertidos em compostos químicos mais simples, são absorvidos, passando através da parede intestinal para o sangue e linfa.

O INTESTINO GROSSO: Em seguida, a massa que não foi absorvida é implida para o cólon. Neste, ainda se dá certa absorção de líquidos através da parede intestinal, e o resíduo, ou fezes, é condensado numa forma semi-sólida. Misturado com esse resíduo, existe o muco, células de descamação da parede intestinal, e bactérias que atuam sobre o resíduo, produzindo cercas vitaminas. Finalmente, cerca de 20 horas após a refeição, o resíduo é evacuado através do recto e do ânus.