Consequências do excesso de ácido úrico

30 Ago, 2011

O ácido úrico é um produto gerado no nosso metabolismo e quando em excesso, traz consequências danosas para a saúde. Passa pelo sangue para os rins e intestinos através deste e pelas vias normais será excretado. O grande problema, é que em quantidades acima do normal, o organismo por deficiência metabólica, ou por factores hereditários não o elimina na totalidade e acontece o depósito nas articulações, levando por vezes à sua destruição. O diagnóstico é feito a partir de análises ao sangue, determinando a quantidade de ácido existente.

Deve haver cuidados com a alimentação, sobretudo com o consumo de proteínas e bebidas alcoólicas, pois o acumular do ácido úrico por anos a fio sem tratamento pode levar ao desenvolvimento da gota. Esta ocorre quando o depósito de uratos nas articulações é de tal ordem que forma reacções inflamatórios muito dolorosas. Quem já experimentou estas dores, descreve-as como difíceis de suportar e altamente incapacitantes, levando na maioria das vezes a artrites.

Esta doença pode atingir os dois sexos, sendo mais comum entre elementos do sexo masculino, na proporção de um para oito.

Não há cura para este mal, mas há forma de o controlar e evitar crises, que nos homens começa com dor e inchaço quase sempre no dedo grande do pé, tornando-o vermelho e inchado e pode passar para outras articulações como joelhos, mãos, ombros ou cotovelos.

Existem vários medicamentos para tomar diariamente para controlar os níveis de ácido úrico e e também existem aqueles medicamentos para aliviar as dores em alturas de grandes crises. De qualquer modo uma alimentação baixa em prurinas é o ideal para que sofre com esta patologia.