Causas da intoxicação alimentar

6 Dez, 2012

A intoxicação alimentar é uma doença grave resultante da ingestão de alimentos contaminados. Deve sempre suspeitar-se de intoxicação alimentar quando em várias pessoas ao mesmo tempo se manifestam de repente sintomas como nauseas, vómitos, diarreia e dores ou mal estar abdominais. Os sintomas podem surgir pouco tempo depois de se comer os alimentos, ou após 24 horas ou mais. Se houver suspeita de intoxicação alimentar, deve-se recorrer imediatamente a um médico. Embora a maior parte dos casos deste tipo de intoxicação seja provocada por bactérias, existem também formas não bacterianas. A intoxicação alimentar não bacteriana pode resultar da ingestão de cogumelos, plantas ou grãos venenosos que erradamente se julgue comestíveis. A intoxicação aguda ou crónica pode ser provocada por frutos ou vegetais com resíduos de inseticidas ou por outros pesticidas. É aconselhável lavar cuidadosamente os frutos com casca e os vegetais antes de os comer.

A infeção mais vulgar por vactérias existentes nos alimentos é a salmonelose, provocada pelas várias espécies de bactérias pertencentes ao género salmonela. Os mariscos que crescem em águas poluídas ou os vegetais adubados com excrementos humanos são muitas vezes contaminados por essa bactéria. Os alimentos também podem ser contaminados pelas pessoas que os manipulam.

Várias espécies diferentes de bactérias provocam a deterioração dos alimentos e muitas delas produzem substâncias tóxicas durante esse processo de deterioração. Destas bactérias, a mais comum é o estafilococo. Normalmente, as pessoas saudáveis restabelecem-se deste tipo de intoxicação dentro de um ou dois dias.

O batulismo é uma forma grave, mas bastante rara, de intoxicação alimentar, devida a uma toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. Esta toxina constitui um dos venenos mais fortes de que se tem conhecimento, mas, felizmente, já se criou uma antitoxina. Se não for tratado, o botulismo é muitas vezes fatal. O microorganismo cresce lentamente nos alimentos pouco ácidos e as conservas de alimentos feitas em casa por um processo incorreto podem conter quantidades perigosas de toxina botulínica.