Amamentar

14 Out, 2012

Muitas mães alimentam os seus filhos a biberão em vez de os amamentarem, com o peito. Mediante o uso de leites adequados e um tratamento atento e afetuoso, por parte da mãe, um bebé alimentado a biberão desenvolve-se tão bem como os que são amamentados. Não há qualquer razão para uma mãe pensar que não cumpres os deveres da maternidade pelo facto de ser incapaz de amamentar o seu filho ou de ter resolvido não fazer por motivos pessoais.

O leite: O pediatra recomendará o leite mais indicado para o bebé. Existe à venda uma grande variedade de leites, próprios para todas as situações do recém-nascido. Não há inconveniente em dar o biberão frio, a menos que o bebé se tenha habituado a tomá-lo a uma determinada temperatura. Em alguns paises, encontram-se à venda biberões de plástico, pré-esterilizados, que são colocados dentro de invólucros de vidro, eliminando assim o incómodo de se estar continuadamente a lavá-los e a fervê-los, como acontece com os biberões normais.

O horário das mamadas: O médico estabelecerá também um horário para a alimentação do bebé. Como regra, será alimentado de quatro em quatro horas. Alguns médicos e pais preferem um regime menos rígido: a criança tomará o biberão sempre que der sinais de ter fome. Esta teoria baseia-se no princípio de que deve ser a criança a estabelecer o horário que mais lhe convém. Este processo, porém, parece desaconselhável; a habituação da criança a um horário regular, desde o início, tem vantagens pedagógicas que não são de desprezar.

Como dar o biberão: Ao dar o biberão, deve-se ter cuidado de o manter inclinado na direção da boca da criança. Desta forma, o latente não engolirá muito ar, pois haverá sempre leite na tetina, até que o biberão se esvazie. É benéfico fazer o bebé arrotar uma ou duas vezes, durante a mamada, assim como no final, batendo-lhe levemente nas costas, segurando-o em posição vertical, de encontro ao ombro. É aconselhável colocar uma toalha sobre o ombro, pois é natural que haja uma pequena regurgitação.